Postagens

Mostrando postagens de 2016

Anoitecer;

Imagem
Tal como uma tela, o quadrado exibia os raios deslumbrantes de um pôr do sol. Em sua cadeira, ela permanecia abraçada à uma pelúcia enquanto no peito uma dor se apertava. Em seus olhos, mal podia conter as lágrimas, mas continha, fazia o possível para segurá-las o máximo possível. Olhou para o lado. O sol, imponente e deslumbrante, fazia sua retirada, trazendo o espaço para a lua e as outras estrelas. Ali ela se encontrava, anoitecendo, assim como a tarde. Era o momento de se acalmar, relaxar, respirar. Era momento de sua ânsia bater em retirada e buscar a calma. Era o momento de acreditar que tudo daria certo. Era o momento. Ela estava em um avião. Estava indo para casa. Em seu coração, a tristeza se misturava à saudade e montavam acampamento. Lá fora o sol se punha e ali, em seu rosto, transbordavam as lágrimas. Em silêncio, as deixou cair.
E caiam.
E caiam.
Aos poucos, abraçada ao seu bicho de pelúcia, foi se acalmando. O sol foi dando espaço para o melhor momento. A infinidade …

Discreta

Imagem
Poderia eu recitar clássicos
Talvez Drummond ou Vinicius
Falando sobre seus amores infindos
Porém não sou eu aquela que faz alarde
Muito menos aquela mal julga
Corações apaixonados
Transbordantes de paixão
Sou essa de sorriso brando
Da timidez não aparente
Mas que não mente:
Trago aqui
Em cada pedaço
Cada palavra
Cada ação
Todo amor que tenho a ti

Autora: Stephanie Santana
Twitter: @stephaniedms
Wattpad: @nadamaiis

Alles Gut

Imagem
A brisa corre suave,
Avisa da tempestade sem pressa,
Percorre nossa pele
E desperta arrepios Mas novos dias chegam
As nuvens vão embora
A brisa retorna mais leve
A Lua aparece no céu
Os mares se acalmam Nossos barcos permanecem intactos
Nossa tripulação se alivia
Enquanto nós, capitães
Devaneamos os mais diversos caminhos
E seguimos


Autora: Stephanie Santana
Twitter: @stephaniedms
Wattpad: @nadamaiis

Sou

Imagem
Cores se inventam e se reinventam
Se movimentam ao pôr do sol
Num fim de tarde acalorado,
Num porto de luz a descansar.
O luar toma seu espaço
E a penumbra noturna engradece as formas e as sombras
Acariciando a melancolia
De uma alma soturna.Por: Stephanie Santana.
Foto: Pôr do sol em Rio Vermelho, Salvador, Bahia. Por Stephanie Santana

Haveremos de Sorrir

Imagem
Ah, a vida... Com seus altos e baixos,
Com seus passados intactos,
Com suas razões e rumos variados.

É de se estranhar que,
Em meio à tolas (ou nem tanto)
Rimas e poesias
Tentemos passar tudo
Dessa coisa imensa
Bagunçadamente arrumada.

Mas tenhamos calma.
Poetas sempre conseguem.
Às vezes pelo amor,
Outras pelas amizades,
Outras pela construção,
E até pela destruição.

Persistimos em viver
Transformando o esperado e o inesperado
Os ganhos e as perdas
A gratidão e o arrependimento
Em nós, em vida
Em resiliência para saber sorrir
E seguir.

Autora: Stephanie Santana
Twitter: @stephaniedms
Wattpad: @nadamaiis

Allow your soul

Imagem
Embrace me with your inner peace
And take me to a space and time that only we know
Remind me of the peace of my own
Reconstruct the confidence and the strength
That I thought I'd never find again
Let our words be a mantra, not a promise
Let our paths be built
Let our feet on the ground
But always remember
That we're born to the stars




Authoress: Stephanie Santana

Aurora

Imagem
Acordarei em seus braços sentindo meu último primeiro suspiro
Com a urgência de quem precisa manter real e presente
Esse tão intenso sentimento,
Necessário e confuso,
Que insiste em dizer que é fugaz,
Mas assim não pode ser
Pois devo ser eu a escolher
Devo ser eu a deixá-lo ficar
A parar de me agarrar
Para não sufocar
O que talvez seja um dos mais incríveis
Reais
Sinceros
Momentos


Autora: Stephanie Santana
Twitter: @stephaniedms
Wattpad: @nadamaiis



Ardor Noturno

Caminhando, o pequeno ser seguia. Sorria, por vezes chorava, daí sorria de novo e então gargalhava. Podia ser de alegria, de felicidade ou até mesmo de desespero. As emoções eram diversas e, uma a uma, ele abraçava.

"Como assim, por quê tantos sorrisos?", talvez você, leitor, se pergunte. Saber ao certo, quase ninguém sabe. O que se sabe é que aquele sorriso era daqueles que dá gosto de se ver, do tipo que dá vontade de sorrir de volta.

Sentou-se no meio fio ao seu lado observou a rua. Era um daqueles dias que se ocorria de tudo, mas que abraçamos o que queremos. Direcionou seus olhos aos céus e admirou sua composição: um pouco nublado, fim de tarde. Era interessante como as nuvens, um pedaço do sol e uma lua tímida conseguiam compartilhar tal momento harmoniosamente.

Um chuvisco leve começou e ele até pensou em levantar e buscar o abrigo de sua casa, ou qualquer coisa assim. Permaneceu, no entanto, sentado, sorrindo. Seu misto de emoções transbordava e não conseguia decidir se…