Postagens

Mostrando postagens de Março, 2016

Ardor Noturno

Caminhando, o pequeno ser seguia. Sorria, por vezes chorava, daí sorria de novo e então gargalhava. Podia ser de alegria, de felicidade ou até mesmo de desespero. As emoções eram diversas e, uma a uma, ele abraçava.

"Como assim, por quê tantos sorrisos?", talvez você, leitor, se pergunte. Saber ao certo, quase ninguém sabe. O que se sabe é que aquele sorriso era daqueles que dá gosto de se ver, do tipo que dá vontade de sorrir de volta.

Sentou-se no meio fio ao seu lado observou a rua. Era um daqueles dias que se ocorria de tudo, mas que abraçamos o que queremos. Direcionou seus olhos aos céus e admirou sua composição: um pouco nublado, fim de tarde. Era interessante como as nuvens, um pedaço do sol e uma lua tímida conseguiam compartilhar tal momento harmoniosamente.

Um chuvisco leve começou e ele até pensou em levantar e buscar o abrigo de sua casa, ou qualquer coisa assim. Permaneceu, no entanto, sentado, sorrindo. Seu misto de emoções transbordava e não conseguia decidir se…